© 2015 Igor Sorriso. 

 

'Tudo serve como aprendizado e evolução'

O dia 24 de fevereiro de 1987 marcou um momento especial na Zona Sul do Rio. Foi na já extinta Casa de Saúde Laranjeiras que Igor da Silva Moreira veio ao mundo para alegrar as vidas de Sr. Ivan e Dona Deli. O bairro do Jardim Botânico foi o lar do sorridente garoto por 25 anos, tempo no qual Igor traçou todos os planos e sonhos que levaria para sua vida. Os colégios Júlia Kubitschek, Escola Municipal Shakespeare, Joaquim Nabuco e Estadual André Maurois foram responsáveis pela formação do jovem que desde pequena sonhava ser cantor.

 

Com o tempo, os sonhos do pequeno Igor passaram a se tornar realidade e o primeiro contato com a música aconteceu no fim dos anos 1990. Cantar era um dos grandes desejos do filho de Deli, querida por todos na região. Se o futebol, como de costume, chamava a atenção, a música falava mais alto. Integrar grupos de pagode e cantar por bares da cidade foi apenas o início até que mergulhasse de vez no mundo do samba. 

Com a carreira profissional em evolução, o garoto do Horto também encontrou no samba a responsável por uma nova etapa de sua vida pessoal. Foi no ano de 2011 que o então intérprete da São Clemente conheceu Erica, com quem se casou dois anos depois.

O tempo passou e a rotina no Horto deu lugar à vida conjunta em Vila Isabel. Foi na casa nova que Igor ganhou um de seus melhores amigos, o Golden Retriver Juca. O fiel escudeiro do cantor, porém, ainda passaria a contar com um novo amigo. Em janeiro de 2015, o pequeno Inácio, primeiro filho do casal,  chegou à vida da família Sorriso, ganhando a companhia do irmão caçula Isaac em junho de 2016.

 

Jovem sonhador, Igor da Silva Moreira tinha a música como sua fonte de trabalho nas noites cariocas. O cantor atuava nos grupos Reflexsamba e, posteriormente, Força do Pagode, tendo o primeiro contato oficial com samba-enredo ao ser convidado pelo amigo Gualter Campos para defender uma das obras concorrentes da disputa da São Clemente em 2003. A participação no concurso não foi tão longa, mas a experiência deu a ele a chance de compor e interpretar para a Mocidade Unida do Santa Marta, onde foi campeão e assumiu o microfone principal. Após quatro anos na escola de Botafogo e já integrando a equipe do carro de som clementiano, Igor anotou uma breve passagem pela Vizinha Faladeira antes de assumir o posto de intérprete oficial da Preta e Amarela da Zona Sul rumo ao Carnaval 2010.

Foram necessários apenas dois anos para que o Pretinho galgasse passos ainda maiores: o desfile de 2011 fez o cantor receber o Estandarte de Ouro na categoria revelação. No Carnaval de 2012 as novidades ficaram por conta do primeiro trabalho em São Paulo, onde passou a integrar a equipe de canto da Mocidade Alegre, e do cargo de intérprete da Bonecos Cobiçados, de Guaratinguetá. O ano foi marcante também pelo grande reconhecimento. A bela atuação no desfile da São Clemente fez Igor ser agraciado com os prêmios Estrela do Carnaval, Sambario e SRZD-Carnaval.

Daí para frente a estrada foi tomando ainda mais forma, até mesmo com duas participações no badalado Carnaval do Rio en San Luis, na Argentina. A folia de 2013 fez Igor assumir também o microfone principal da Acadêmicos do Tucuruvi, em São Paulo, e da Ilha do Marduque, de Uruguaiana. Jornada tripla para o cantor de samba-enredo mais sorridente do país e que, no ano seguinte, se tornou a voz oficial da paulistana Mocidade Alegre, tendo conquistado o título de campeão do Grupo Especial da Terra da Garoa logo na estreia como primeira voz da Morada do Samba. Toda a evolução se fez ainda mais consistente no ano de 2015. Igor Sorriso viu a São Clemente realizar o melhor desfile de sua história e, de quebra, garantiu prêmios de melhor intérprete pelo júri especializado do site CARNAVALESCO, Troféu Gato de Prata e S@ambanet.

Foram dez anos junto à comunidade clementiana, seis como voz oficial, até que Igor se despedisse dos velhos conhecidos para viver uma nova fase profissional: no dia 11 de março de 2015 o cantor acertou sua ida para a Unidos de Vila Isabel, onde permaneceu até o Carnaval 2018. Na estreia pela Vila, no Carnaval 2016, Igor faturou o troféu SRZD-CARNAVAL de melhor intérprete, emplacando a dobradinha do prêmio vencendo também em São Paulo, onde defendeu a Mocidade Alegre. Ainda no Carnaval paulistano de 2016, Igor conquistou o Troféu Nota 10 de melhor cantor, oferecido pelo Diário de São Paulo e o Troféu Recordar É Viver na mesma categoria. Para o Carnaval 2019, Igor foi responsável por uma grande mudança em sua vida ao acertar o retorno para a Mocidade Alegre, de São Paulo, e abdicar temporariamente do Carnaval carioca. No ano de retorno para o Carnaval paulistano, o cantor foi corado com três prêmios de melhor intérprete: Troféu SASP, Estrela do Carnaval e Troféu Recordar É Viver.

 

 

'O sucesso nada mais é do que fazer o que se ama'

'Um homem buscando realizar seus sonhos de menino'

  • Facebook - Black Circle
  • SoundCloud - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

CONTATO & PRODUÇÃO:
Fone: +55 (21) 98002-1363
Assessoria: Rafael Arantes

 

 

'Carnaval é alegria, descontração, momento de ser e fazer as pessoas felizes'

Demorou menos de um ano para que Igor largasse a percussão e se entregasse de vez ao canto. O Pretinho integrava o grupo de pagode Reflexsamba tocando repique de mão até que o amigo e vocalista do conjunto, Leonardo Esteves, esqueceu a letra de uma música durante um show, fazendo Igor assumir o microfone. Foram tantos elogios que o novo caminho foi traçado.

 

Depois de começar no Carnaval na Mocidade Unida do Santa Marta, Igor cantou três anos na escola mirim Aprendizes do Salgueiro. O intérprete defendeu a Vermelha e Branca nos anos de 2005, 2006 e 2007, integrando o time de cantores ao lado de Júlia Alan, Tuninho Junior e Bruno Caeiro, entre outros.

 

O bordão "Aí sim, meus pretinhos" surgiu repentinamente. Igor sempre foi carinhosamente chamado de pretinho por mestre Caliquinho e os diversos amigos da Fiel Bateria até que quando os ritmistas acertaram uma das paradinha durante um ensaio a frase saiu e acabou pegando de vez.

Igor encontrou uma forma do estilo mais simples ao rebuscado para animar e interagir com os componentes das escolas que defende. Desde 2012, o intérprete decidiu se fantasiar em todos os desfiles que participasse e sempre de acordo com o enredo da agremiação: Com direito à chapéu, bigode e até mesmo mudança de sexo...

 

Além de passar o Carnaval na Avenida, Igor ainda tem um bloco de rua organizado junto aos amigos de infância. O Fofoqueiros de Plantão tem como mascote uma coruja de vestido e bob. Além disso, todos os sambas são sempre relacionados à fofoca, em uma homenagem às "candinhas" da vizinhança. O bloco desfila todo domingo seguinte ao Sábado das Campeãs, na Rua Jardim Botânico.